quinta-feira, 7 de junho de 2018


MENTI POR UMA BOA CAUSA!

ROBERTO FOI UM TIO MUITO QUERIDO QUE AMANHECE UM DIA COM DORES DE DENTE. ENCAMINHADO AO DENTISTA, VERIFICA-SE QUE A DOR NÃO É DO DENTE, MAS DE UM TUMOR QUE INVADE A MAXILA E NECESSITA SER OPERADO.
FEITA A BIÓPSIA, É MALÍGNO, MAS, TOTALMENTE EXTIRPADO, RECEBE ALTA. NÃO É NECESSÁRIO QUIMIOTERAPIA.
TELEFONO PARA ELE, QUERO VISITÁ-LO, MAS SE ESQUIVA, DIZENDO QUE NÃO CONSEGUE FALAR NEM COMER. AGUARDA UMA PRÓTESE PARA FECHAR UM FURO QUE FICOU NO CÉU DA BOCA E FAZ A COMIDA ESCAPAR PELO NARIZ.
PENALIZADA, DESLIGO RÁPIDO E PROMETO LIGAR EM OUTRA HORA.
APÓS UM TEMPO, SOUBE QUE ANDOU DEPRIMIDO, SEM COMER,  E VEM PARA UM HOSPITAL, EM SÃO PAULO. MORAVA EM SANTOS. É ENCAMINHADO PARA PSIQUIATRIA, NEUROLOGIA, TERAPIA, DESCONHECE AS PESSOAS.
ESPANTO-ME COM ISSO. COMO, DE UM PROBLEMA DENTÁRIO, ACABA EM PSIQUIATRIA? ESTRANHO... JUSTO MEU TIO TÃO ALEGRE!
RECORRO A UM AMIGO MÉDICO E PEÇO-LHE PARA SABER A VERDADE. PASSANDO POR MÉDICO INDICADO PELA FAMÍLIA, DESCOBRE O DIAGNÓSTICO. ESTÁVAMOS BEM PREOCUPADOS.
SURPRESA! DESCOBRIU A FICHA COMPLETA DE MEU TIO. ESTAVA NAS ÚLTIMAS, COM TUMORES PELO CORPO TODO, NADA MAIS A FAZER. NEM A PRÓPRIA ESPOSA SABIA...
FALECEU NO DIA SEGUINTE, INOCENTE, IGNORANDO O QUE TINHA. CHEGOU TARDE AO HOSPITAL.
MENTIRAM PARA ELE QUANDO É OPERADO DA BOCA, MENTIRAM PARA A FAMÍLIA QUE NEM SOUBE O QUE TINHA, MENTI EU QUANDO PEÇO PARA OUTRO MÉDICO IR AO HOSPITAL.  MUITA MENTIRA, NÃO SEI SE BENÉFICA, INGÊNUA, MALÉFICA OU IRRESPONSÁVEL!
FOI BOM, JÁ QUE IA  MORRER, NÃO SABER, REALMENTE, SEU ESTADO. MORREU SEM SABER QUE ESTAVA NO FIM! UM TIO TÃO ALEGRE...

terça-feira, 5 de junho de 2018


O PRIMEIRO AMOR!

ERA UMA RUA CALMA, DIVERTIDA, CHEIA DE VIZINHOS, CONHECIDOS DE MUITOS ANOS. O ÚNICO BARULHO QUE SE OUVIA ERAM AS BRINCADEIRAS DAS CRIANÇAS. PATINS, PEGA-PEGA, BOLA, TEATRINHOS NA RUA E FUNDO DOS QUINTAIS. PASSAVAM O DIA INTEIRO EM GRUPINHOS, ORA NA CASA DE UM, ORA NA DE OUTRO. À NOITINHA, VOLTAVAM PARA BANHO, JANTAR E CAMA. ISSO QUANDO EM FÉRIAS, SEM OS HORÁRIOS DO GRUPO ESCOLAR "DONA JÚLIA", QUE FREQUENTAVAM DAS ONZE ÀS TRÊS.
SOBRADOS ALTOS E COMPRIDOS, GRANDES JARDINS À FRENTE E QUINTAIS AO FUNDO, ESCADARIA DE MÁRMORE QUE LEVAVA À PORTA PRINCIPAL, GERALMENTE DE MADEIRA E VIDROS COLORIDOS. ASSEMELHAVAM-SE TODAS, CONSTRUÍDAS PELO MESMO ARQUITETO.
UM AR CONVIDATIVO A QUALQUER MORADOR OU TRANSEUNTE. TODOS SE SENTIAM UMA FAMÍLIA. ASSIM VIVIAM VÁRIAS CRIANÇAS, PRINCIPALMENTE IVAN E MÁRCIA. ERAM VIZINHOS PRÓXIMOS E BASTANTE UNIDOS. ELE, UM MOLEQUE TERRÍVEL. O MAIS LEVADO DA TURMA, LIDERAVA AS BRINCADEIRAS PERIGOSAS. TODOS O OBEDECIAM, PRINCIPALMENTE MÁRCIA, MENOR EM TAMANHO E IDADE. TEMIA DESAGRADÁ-LO. HOUVE MOMENTOS DE SÉRIOS APUROS COMO NO DIA EM QUE LEVOU O FERRO QUENTE DE PASSAR, AO CONSERTO, PEDIDO DE VOVÓ, E, NO CAMINHO, IVAN A OBRIGA A AJOELHAR-SE. BRINCADEIRA ESTÚPIDA, QUE CAUSOU LEVE QUEIMADURA NA PERNA DELA, DEIXANDO MARCA. ERAM OS BULLYINGS DE ANTIGAMENTE.
CRESCEM TODOS, FAMILIARIZADOS, SEM PERCEBEREM AS MUDANÇAS. MÁRCIA, MENINA DESAJEITADA, GORDINHA E SARDENTA, TRANSFORMA-SE EM LINDA JOVEM, DE CABELOS ENCARACOLADOS. IVAN, O MAIOR DA TURMA, TORNA-SE UM RAPAZ ATRAENTE, LOURO E ALTO, INCRIVELMENTE TÍMIDO E DESAJEITADO, NADA REVELA O MOLEQUE LEVADO DA INFÂNCIA. É A ÉPOCA DOS BAILINHOS, DO ROCK AND ROLL, DAS MÚSICAS DO ELVIS PRESLEY. AS BRINCADEIRAS ANTIGAS TRANSFORMAM-SE EM BARULHENTAS BADALAÇÕES.
IVAN E MÁRCIA, MEIO APAIXONADOS, COM VERGONHA DE SE REVELAREM, PASSAM TARDES OUVINDO MÚSICAS E DANÇANDO NA GRANDE SALA DE ESTAR DA CASA DELE. SAEM JUNTOS COM OS AMIGOS, FREQUENTAM O CINEMA DO BAIRRO, PARTICIPAM DE PASSEIOS, VIVEM JUNTOS. TODOS ACHAM QUE SÃO NAMORADOS, MAS DESMENTEM ENVERGONHADOS.
OS PAIS DE MÁRCIA, QUANDO ELA COMPLETA QUINZE ANOS, RESOLVEM MUDAR PARA O INTERIOR. QUE TRISTEZA! NÃO VERIA MAIS A PRIMEIRA PAIXÃO. O PRIMEIRO SONHO DA ADOLESCÊNCIA. SÓ EM VISITAS OCASIONAIS.
NA NOVA CIDADE, MÁRCIA É NOVIDADE. MUITO CLARA, CHAMATIVA, ARRANJA LOGO ADMIRADORES. A MENINA DE FORA, PAULISTANA, APARECE NAS COLUNAS SOCIAIS. ARRUMA SEU PRIMEIRO NAMORADO, LUIZ CARLOS, BASTANTE MORENO, SENDO LOGO APELIDADDOS DE MAY (BRITT) E SAMY (DAVIS JUNIOR), ATORES MUITO EM VOGA, NA ÉPOCA. GOSTOU DELE E FOI ESQUECENDO, AOS POUCOS, IVAN, DE QUEM SE LEMBRAVA SOMENTE EM VISITA AOS AVÓS. CONTINUAVAM VIZINHOS.
TERMINA SEUS ESTUDOS E VOLTA A SÃO PAULO, JÁ ADULTA, INDEPENDENTE E SÓ. DOS VÁRIOS NAMORADOS QUE TEVE, NENHUM DEU CERTO. QUERIA MESMO VOLTAR À CAPITAL LEMBRA-SE DE IVAN, CONVIDADA PELA FAMÍLIA, À SUA FORMATURA. QUE ALEGRIA E QUE SURPRESA! ENCONTRA-O NOIVO DE SUA MELHOR AMIGA DE INFÂNCIA, ESTER, QUE SABIA DE SUA EXISTÊNCIA. ESTRANHA COINCIDÊNCIA! CUMPRIMENTA-OS E SEGUE EM FRENTE COM SUA VIDA.
DEDICA-SE AOS ESTUDOS, TRABALHO COMO PROFESSORA, CONHECE AQUELE QUE SE TORNARIA MARIDO E PAI DE SEUS FILHOS. IMPRESSIONA UM POUCO SUA SEMELHANÇA COM IVAN. APÓS UM CASAMENTO DE VINTE ANOS,  SEU MARIDO FALECE, VITIMADO POR UM CÂNCER. VIÚVA E TRISTE,  MÁRCIA SE ENVOLVE COM AFINCO NO TRABALHO E DEDICAÇÃO AOS FILHOS, NÃO PENSA MAIS EM REFAZER A VIDA AMOROSA.
ACONTECE MISSA DE SÉTIMO DIA DE UM AMIGO DE INFÂNCIA. MÁRCIA COMPARECE E A PRIMEIRA PESSOA QUE ENCONTRA, AO ENTRAR, É IVAN, O ANTIGO COMPANHEIRO DE FOLGUEDOS E ALEGRIAS. ABRAÇAM-SE EFUSIVAMENTE E ELA DESCOBRE QUE ELE TAMBÉM ESTÁ VIÚVO E SÓ. SEM PERCEBEREM, RENASCE A CHAMA E O ENTUSIASMO DE ANTIGAMENTE, O QUE OS PERTURBA. SERÁ POSSÍVEL, PENSA MÁRCIA, ASSUSTADA. APÓS TANTO TEMPO!
ACEITA TOMAR  UM CAFÉ E RELEMBRAM OS BONS TEMPOS. PERCEBEM QUE A VIDA OS ESTÁ UNINDO NOVAMENTE. ESTÃO TENDO UMA NOVA CHANCE. SERÁ QUE, DESTA VEZ, VÃO DEIXÁ-LA ESCAPAR?